quinta-feira, 6 de novembro de 2008

A Fuga



Não agüento mais, preciso sair daqui. Estou farto de obedecer às ordens do soberano e aos caprichos de sua esposa. Já não suporto nem a pequena Margarida. Chega de anões, bufões, servos, damas de companhia e bajuladores. Sem contar o cão pulguento, que jamais tomou banho. É como se minha vida estivesse estagnada há séculos. Cansei de ver e ser visto, tenho que fugir. A porta dos fundos é sempre vigiada, então sairei pela frente. O plano é roubar a alma de um admirador.

Hum... que tal esse homem negro? Boa aparência, barba feita, inteligente, chefe de família... ah, não, está metido com política. E o pior é que tem carisma. Já pensou se vira presidente? De jeito nenhum, sou um servo da arte, não quero essa vida. E nem sei falar inglês. Quer saber? É melhor procurar outro.

Opa, parece que esse aí gostou de mim. Boa aparência, cheiroso, barba aparada, inteligente, cabelos grisalhos, nem velho, nem moleque. Que interessante, ele vem de longe e fala português, igualzinho a meu avô. E ganha a vida escrevendo. Ótimo, preciso parar de respirar tanta tinta. Parece que ele vai montar um curso para jovens escritores. Caso eu não me adapte ao dia-a-dia do mestre, posso depois roubar a alma de um aluno. Será que algum deles saberá pintar?


Exercício proposto por Bruno Cobbi, intitulado Roubando Almas.
Inspirado na obra As Meninas, de Diego Velázquez (1599-1660)

Veja também: Sonhos, de Sady Folch, Andarilho Voador, de Bruno Cobbi, Abissais, de Olga Vallejo, Um cavaleiro garboso, de Terezinha Carvalho, Viajando desde Ivanikha, de Claudia Finamore e A psicóloga roubada, de Patricia Cytrynowicz -- textos em resposta ao mesmo exercício.
Confira ainda o mapa da aventura.

9 comentários:

Bruno Cobbi disse...

DI-VER-TI-DÍS-SI-MO!

Caraca Renato! MUITO BOM MESMO! Adorei os hiperlinks (e vc já pegou a manha do FTP hein!

Luz, Guerreiro!

Petê disse...

Muito bom, Retrix. Como sempre, divesão pura.

Abraço

SADY FOLCH disse...

Boa Renato !!

Está em consonância com o que tenho pensado prá mim...ehehehe

Acho que o direito pode rodar nessa, mas, nunca o direito de recomeçar.

Valeu irmão. Gostei muito.
Abraços

Sady

Laura Fuentes disse...

Caramba, do século XVII e do mundo dos pincéis e da nobreza, a bola voltou pro casarão de Higienópolis, século XXI..., e bem próximo ao Andarilho Voador que detonou toda essa viagem... Hum, isso promete...

Claudia disse...

Que viagem no tempo e no espaço, hein, Renato. Muito bom. Também vou viajar no meu texto. A viagem será o ponto comum entre nossos textos.
Um beijo.

Lu Faria dos Anjos disse...

Olá Renato,
Adorei o seu texto, os links, as imagens...
Mas o que eu gostei mesmo foi sair roubando.
Roubei almas, partes de textos e até imagens!
Veja se não falta nada no seu blog rsrsrs.
Parabéns!

Lu Faria

Claudia disse...

Oi, Renato,
Convidei você através do meu blog para participar de um meme. Veja em: http://desabafosereflexoes.zip.net/arch2008-12-07_2008-12-13.html#2008_12-12_22_36_11-4546624-26

Olga disse...

Como você curte um samba, vai aí uma paródia: "não deixe o blog morrer..."

sin disse...

Oi gostei do seu blog, visite o meu de textos pessoais, espero que goste, obrigado.